2001, UMA ODISSEIA NO ROCK

Escrito por Pablo Peixoto em 17.11.2014

Com a chegada aos cinemas do filme Interstellar, o então proclamado 2001 de Christopher Nolan, muita gente, como meu amigo Luide tem voltado a falar do clássico do cinema de Kubrick de 1969 que foi um catalisador de uma nova forma de pensar filosofia científica, sociedade e arte.

Os reflexos da obra-prima de Kubrick também podem ser vistas em outras mídias que não necessariamente estão diretamente ligadas à sétima arte, entre muitas delas, vamos falar de rock n’roll e como 2001 influenciou a concepção da capa de três álbuns clássicos do rock, como veremos em seguida:

1969: Space Oddity – David Bowie


original

David Bowie saiu do cinema eufórico com 2001, uma Odisseia no Espaço e no mesmo ano se inspirou a compor o que foi um dos seus primeiros sucessos “Space Oddity” (uma variação de Odyssey) que narra o dilema existencial do personagem Major Tom, enquanto flutua em uma “latinha no espaço.”

 A capa do álbum é diretamente inspirada na estética do filme com suas luzes e iluminação limpa, geométrica e clean. Bowie vai voltar ao tema espacial, no outro clássico “Ziggy Stardust and the Spider From Mars”.

Segundo o próprio artista “O álbum é diretamente inspirado no filme 2001, que eu achei incrível. Fiquei embasbacado e assisti várias vezes. Foi como uma revelação para mim”

1971: Who’s Next – The Who

Whosnext

O álbum clássico dos ingleses do The Who, considerado um dos mais importantes da história do Rock, possui além de sucessos como “Baba O’Rilley” e “Won’t Get Fooled Again” uma capa intrigante. Nele, os quatro membros da banda aparecem se afastando, após urinarem em um monolito muito parecido com o do filme de Kubrick. O desrespeito pode ser interpretado como a recusa simbólica do sucesso e o desprezo pelo futuro, bem típico de uma banda que cantou “Hope I die before get old”

Conta a história que John Entwhistle (baixo) e Keith Moon (bateria) estavam conversando sobre 2001 e tiveram a ideia de usar o ícone. Outro boato (possivelmente uma brincadeira) conta que a ideia surgiu do ressentimento do guitarrista e letrista Pete Townshend após Kubrick se recusar a dirigir o musical “Tommy” já em pré produção àquela altura.

Townsend havia se inspirado em “Uma Odisseia no Espaço” para criar seu futuro distópico no ambicioso projeto “Lifehouse” que acabou abandonado e gerando o álbum em questão.

1976 Presence – Led Zeppelin

 presence

O led Zeppelin também foi influenciado pela estética de Kubrick e vai dar sinais disso com o onipresente obelisco (chamado simplesmente de “The Object”) no album Presence, já na segunda metade da década de setenta. O objeto simboliza o poder e força da banda. O próprio Jimmy Page, guitarrista, acrescenta: “Para mim, era mais importante o que estava por trás do obelisco. Essa capa é muito irônica, para ser honesto. Meio que uma brincadeira com o filme 2001. Eu achei muito divertido.” Em 77 o álbum foi nomeado para o Grammy na categoria Melhor Capa.

 

 

 

Artigos